Marketing Jurídico: entenda o que pode ser feito e evite problemas

Recomendados

Marketing Jurídico é um assunto que precisa ser discutido, uma vez que existem muitas regras a serem seguidas para praticá-lo. Diferente de outras profissões que, em sua maioria, são livres para criarem qualquer conteúdo e divulgarem seus serviços, os advogados possuem algumas restrições.

Antes de começar a criar estratégias de marketing é preciso entender que elas não podem ser feitas de qualquer jeito. Em 2021, entrou em vigor o provimento 205/2021 e que rege em conjunto ao Código de Ética e Disciplina da OAB, a maneira de como pode ser feito o marketing na área de advocacia.

Diante de todos esses cuidados que devem ser tomados pelos advogados, vamos explicar nesse blog o que pode feito no marketing jurídico e assim, evitar qualquer complicação mais grave.

Tenha uma ótima leitura!

Marketing Jurídico: o que mudou?

Até julho de 2021, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) possuiu normas que tratavam esse quesito como “publicidade”. Um regulamento totalmente desatualizado e que não acompanhava a nova realidade digital na qual vivemos.

A partir daí, como já citamos acima, em agosto de 2021 surgiu o provimento 205/2021 com atualizações sobre o tema e as seguintes determinações:

“Art. 1º É permitido o marketing jurídico, desde que exercido de forma compatível com os preceitos éticos e respeitadas as limitações impostas pelo Estatuto da Advocacia, Regulamento Geral, Código de Ética e Disciplina e por este Provimento.

§ 1º As informações veiculadas deverão ser objetivas e verdadeiras e são de exclusiva responsabilidade das pessoas físicas identificadas e, quando envolver pessoa jurídica, dos sócios administradores da sociedade de advocacia que responderão pelos excessos perante a Ordem dos Advogados do Brasil, sem excluir a participação de outros inscritos que para ela tenham concorrido.”

Essa mudança foi muito positiva aos advogados que, assim como qualquer outra empresa, precisam estar atualizados e antenados na internet para conseguir mais clientes. Porém, é importante que ainda trabalhem suas estratégias com cuidado e atenção.

Para resumir sobre o que mudou com a chegada do provimento para o marketing jurídico, separamos uma tabela explicativa da empresa especialista em documentos e contratos: InContract.

Confira:

ANTESPROVIMENTO 205/2021
As normas da OAB tratavam o tema como “publicidade”Foi regulamentado o termo “marketing jurídico”
Provimento 94/2000 estava desatualizadoMaior abrangência quanto às plataformas utilizadas atualmente
Conteúdo técnicos e notícias de portais credenciadosProdução de conteúdo próprio
Anúncios pagos são vedadosAnúncios pagos podem ser feitos a caráter informativo
FONTE: InContract

O que pode e não pode ser divulgado

Ainda de acordo com o InContract, que menciona o Art. 3º do provimento 205/2021, os conteúdos (anúncios pagos, orgânicos ou impulsionamento de posts) que forem veiculados necessitam ser puramente informativos, isto é, estão proibidos de ser apelativos, de autopropaganda ou afim de captar clientes.

O InContract resumiu ainda, as práticas vedadas pelo provimento sobre marketing jurídico, veja:

  • Promessa de resultados
  • Menção direta ou indireta aos valores de honorários;
  • Pagamentos para aparição em rankings e premiações;
  • Distribuição de brindes, cartões de visita, material impresso e digital;
  • Divulgação de informações que possam induzir a erro ou causar dano a clientes, ou a outros advogados ou à sociedade;
  • Anunciar-se com especialidades pelas quais não possua um título certificado;
  • Utilização de orações ou expressões persuasivas, de auto engrandecimento ou de comparação;
  • Apresentações dos serviços prestados maneira indiscriminada em locais

públicos, presenciais ou virtuais, salvo em eventos de interesse jurídico;

  • Veiculação de publicidade por meio de rádio, cinema e televisão, assim como o uso de outdoors, mala direta e distribuição de panfletos;
  • Fornecimento de dados de contato, exceto o e-mail, em colunas ou artigos publicados ou na participação de programas.

Sinal verde para o marketing jurídico

InContract coloca ainda – segundo a OAB – que o novo provimento permite a utilização das seguintes ferramentas:

  • Criação de site, blog e redes sociais;
  • Estratégias de SEO;
  • Participação em lives;
  • Veiculação de Campanhas no Google, Facebook e Instagram Ads, assim como outras plataformas de anúncio;
  • Uso de e-mail marketing, grupos de WhatsApp desde que para pessoas com quem o advogado já tenha relacionamento;
  • Uso de identidade visual e fotos nos meios de comunicação profissional, vedada a utilização de símbolos oficiais da Ordem dos Advogados do Brasil.

Os conteúdos voltados para outros advogados como, por exemplo, dicas de livros e eventos do segmento, estão resguardados de acordo com o provimento.

Marketing jurídico: estratégias a serem seguidas

Com essa flexibilização das normas da OAB sobre o marketing jurídico, é hora dos advogados e advogadas investirem em estratégias para alcançarem visibilidade, ampliar suas redes de contatos e porque não se tornarem referência em seu ramo de atuação?

Pensando nisso, vamos falar sobre algumas estratégias que podem ser utilizadas no marketing jurídico. Acredite, seguindo essa linha você “andará” dentro das normas e de quebra, conseguirá fazer ótimos negócios.

1. Entenda quem é o seu público de fato

Tudo começa pelo estudo do seu público, ou seja, a definição da persona. Afinal de contas, os conteúdos que você como profissional irá produzir, devem ser baseados com os gostos de seus possíveis clientes.

Estude e avalie muito bem quem você quer atingir e, consequentemente, atender. Colete informações dos clientes e crie ações para despertar o interesse neles, mas lembre-se, nem sempre o que funciona para um vai gerar o mesmo resultado no outro.

Por exemplo, algumas pessoas gostam de receber informações e sugestões por Whatsapp, outras optam pelo e-mail e assim por diante. Fique atento para criar mecanismos eficientes e assim, conhecer de verdade o seu público.

2. Tenha um site de qualidade

Ao pesquisar no Google por advogados, a pessoa espera receber o mínimo de informação possível sobre o profissional, mas que tal surpreendê-la com um site?

Portanto, uma ótima estratégia de marketing jurídico é criar um site de qualidade com informações que repassem credibilidade e confiança ao visitante da página. Algumas sugestões do que se pode ter:

  • Currículo do profissional;
  • Cases de maior sucesso;
  • Conteúdos como blogs;
  • Notícias importantes sobre o ramo que o profissional atua;
  • Vídeos institucionais;
  • Fotos dos advogados e até mesmo do escritório.

Crie uma versão para web e também mobile, uma vez que os celulares são os aparelhos mais utilizados, hoje em dia, para pesquisas. Fique atento as questões técnicas do site, ou seja, ele precisa ser intuitivo, acessível aos deficientes físicos e visuais, ter uma navegação simples.

3. Redes sociais são ótimas opções

As redes sociais são utilizadas pela maioria das pessoas, dificilmente você encontrará alguém que não tenha uma conta em uma das plataformas como o Instagram, Facebook, LinkedIn, Twitter, TikTok e outras. Seja qual for o número de seguidores que sua página tenha, sempre se mantenha ativo nela ou nelas.

A interação constante com seus seguidores pode criar laços muito fortes e potencializar a atração de clientes. Faça caixinhas de perguntas, responda todas as dúvidas, crie cards e reels, enfim, crie conteúdos envolventes e relevantes, veja mais sobre o assunto no próximo tópico.

4. Marketing jurídico também envolve conteúdos relevantes

Se você quer atrair pessoas para seu site ou rede social, invista firma em marketing de conteúdo. Bons blogs, infográficos, lives, vídeos, cards e demais tipos de materiais informativos são ótimos mecanismos para chamar a atenção de clientes.

A melhor parte da criação de conteúdo é que o investimento é baixo e os resultados são orgânicos, afinal de contas, o usuário chegou até você por meio de dos textos bem elaborados, ilustrações de qualidade ou um vídeo com informações relevantes e bem editado.

Portanto, pense nessa ideia e tenha mais chances de se destacar de forma natural e sem infringir as normas do marketing jurídico.

E aí advogado, está preparado para o marketing jurídico?

Após anos com tantas limitações para divulgar os trabalhos, agora os profissionais de direito podem investir mais em marketing jurídico, basta seguir a regra principal, os conteúdos precisam ser estritamente informativos. Lembre-se que captação de clientes ou a mercantilização da profissão não devem configurar de seus materiais.

Deixamos claro ao longo do blog o que se pode ou não fazer dentro do marketing jurídico. Portanto, fique atento as regras para não cometer nenhuma infração e acabar até perdendo o direito de advogar.

As estratégias para atrair clientes da forma correta podem ser seguidas tranquilamente. Se precisar de uma agência para cuidar do seu marketing, te convidamos a conhecer o Studio DMS!

Obrigado por ler até aqui e até o próximo conteúdo!

Veja outros conteúdos:

Cadastre-se e faça parte da nossa lista exclusiva de conteúdos!

Marketing para ótica: dicas que farão sua empresa vender mais

Marketing para ótica é primordial como para qualquer outro setor que precisa vender para sobreviver ao mercado. O empresário desse ramo – que já está bem saturado em algumas cidades – precisa ficar atento em como sua loja se relaciona com o cliente, especialmente, no mundo virtual.

Growth Hacking: entenda o que é e como aplicar em seu negócio

Growth Hacking é um termo que vem crescendo mais a cada dia dentro das empresas, principalmente, as de tecnologia.

Metaverso: entenda quais são as oportunidades para o marketing

Um ambiente que será possível ser e viver o que você quiser, já imaginou isso? Falamos do Metaverso descubra as novidades desse novo mundo.

Ainda tem dúvidas sobre o quanto sua empresa pode ganhar investindo em marketing digiTal?

Fale com um de nossos profissionais e conheça o plano ideal para ter resultados na internet!